Banner regulus 728x90
Doriana - Fraternidade 728x90

Mente aberta e meditação

A dificuldade maior não está no uso da ferramenta fantástica que é a meditação. Está em entender como ela funciona.

Por Texto de: Boris Artemenko (falecido) - Astrólogo - Julho 2014 em 26/04/2023 às 12:51:36

J√° foram ampla e repetidamente ditas quais são as poss√≠veis vantagens da Meditação na vida humana, tanto em relação à sa√ļde mental como f√≠sica.

Algumas das objeções mais fortes que se fazem são de que mesmo aqueles que meditam com frequ√™ncia e regularmente, ficam doentes; t√™m problemas sociais e econômicos; e nada parece resolver as dificuldades que enfrentam inclusive em relacionamentos, profissionalmente e até consigo mesmos.

Então de que adianta meditar dizem?

A dificuldade maior não est√° no uso da ferramenta fant√°stica que é a meditação. Est√° em entender como ela funciona.

Em um mundo cada vez mais polu√≠do pelo conflito entre materialismo e espiritualidade, faz-se muita confusão entre o que se pretende conseguir.

Primeiro, costumamos nos influenciar pelos rótulos da m√≠dia, da propaganda, da contradição entre os que aceitam a meditação como uma maneira positiva de lidar com seus problemas e aqueles que a rejeitam e denigrem, por ela aparentemente não atender seus propósitos iniciais.

Segundo, atribu√≠mos à meditação (e não só à meditação), a "obrigação" de resolver e atender nossos anseios. Criamos expectativas completamente divorciadas da realidade porque desconhecemos ou ignoramos intencionalmente o verdadeiro poder da meditação.

Que poder é esse?

Geralmente dizemos que "acreditamos piamente e com fé" de que funciona, mas o que permeia nossa maneira de "acreditar", é o h√°bito de buscar soluções fora de nós.

Acreditamos na meditação do mesmo jeito que dizemos acreditar em Deus e na Provid√™ncia Divina. E com isso, o √ļnico poder que ignoramos e não cultivamos é o nosso próprio potencial, nossos poderes individuais e coletivos para trilhar e abrir nossos caminhos.

Continuamos a aguardar que a TV Digital sonhada venha a cair do céu e não como resultado do nosso próprio esforço. Que ganhemos o pr√™mio da loteria para resolver todos os nossos problemas e alimentar nossos desejos.

Misturamos a espiritualidade com a materialidade e como nenhuma nem outra parecem funcionar, então desconhecemos a verdadeira razão disso. Culpamos as causas externas por não nos atender, de ignorarmos nosso próprio poder.

A meditação não é para que "adivinhemos" os n√ļmeros que vão ser sorteados na loteria; para encontrarmos um sapo a que beijemos e que se transforme no pr√≠ncipe encantado; que nos arranje um emprego milagroso que nos tire do fosso de d√≠vidas e car√™ncias econômicas.

É para ver nossas reais condições de fazermos a nossa parte e responsabilidade. E qual é a nossa parte e qual a nossa responsabilidade? Estamos mal acostumados achando que temos muitos direitos, mas que eles devem nos ser garantidos e preservados por uma vaca sagrada em cuja teta vamos nos pendurar ao invés de usarmos o suor do rosto e a dedicação ao que nos dedicamos e comprometemos, para obter os resultados almejados.

Queremos a solução dos nossos problemas hoje e agora, de imediato, e não queremos fazer nenhum esforço para merecermos as d√°divas. Descuidamos até do maior presente que a vida nos concede: a exist√™ncia e a capacidade de buscar as nossas metas.

Todos nós possu√≠mos certos poderes que vão além das funções fisiológicas que sustentam nossos corpos. São os poderes que governam nossas mentes e nossos esp√≠ritos. Mas governam permitindo-nos o livre arb√≠trio de decidir se usamos as sugestões que eles nos proporcionam ou não. Geralmente, rotulamos esses poderes como intuições e acreditamos que isso não é parte do nosso ser, mas sim uma habilidade parapsicológica de que são dotados somente aqueles que t√™m contato √≠ntimo com seres "protetores". O que não queremos aceitar que mesmo tais "protetores", só nos protegem, ou a alguns de nós, se formos capazes de fazer as escolhas certas, de enfrentar as pressões e pagar o custo (sim, tudo tem preço) de sabermos usar o nosso livre arb√≠trio. Eles não o usam por nós. Em algum lugar, para os que acreditam na B√≠blia como palavra de Deus, o principal protetor, est√° claramente dito: "Ajuda-te que te ajudarei." Mas não diz que Ele far√° por nós aquilo que nós devemos fazer por nós!

E a meditação é o meio, a ferramenta, através da qual podemos aprender a extensão dos nossos poderes pessoais para ver objetivamente as nossas realidades e condições; para podermos conhecer nossos próprios poderes e a melhor maneira de os usarmos com bom senso em busca dos resultados que almejamos. A√≠ estaremos fazendo a nossa parte. Não adianta ajoelhar e implorar que a solução que achamos que precisamos ou que desejamos, nos caia do céu. É mais f√°cil cair um meteoro...

Por exemplo: Nosso complexo organismo dispõe de defesas naturais. Ele sabe o que nos faz bem à sa√ļde tanto f√≠sica como mental. Não é porque o fabricante diz que o alimento que oferece lhe far√° bem e sim, se depois de ingeri-lo, seu organismo restaura suas energias, preserva suas forças e mobilidade, lhe traz bem-estar, uma digestão normal e f√°cil que lhe facilite o sono e não lhe cause desconfortos.

Não ser√° porque alguém, por mais credenciado que seja, diga que o produto geneticamente modificado não vai lhe adoecer, enfraquecer a imunidade, desestabilizar seu organismo. É seu organismo que vai lhe comprovar como isso o afeta ou beneficia. Voc√™ se entende com seu organismo? Voc√™ sabe como ele funciona? Voc√™ sabe ler os sintomas que ele lhe produz? De que algo lhe fez bem ou fez mal?

Essa relação com voc√™ mesmo não depende da ci√™ncia, da medicina ou da religião. Ela depende de voc√™ mesmo se conhecer, ter intimidade consigo mesmo, com seu corpo e com sua mente. Se a ingestão de √°lcool em excesso lhe faz mal, porque voc√™ continua a ingeri-lo?

Pois a meditação poder√° lhe mostrar o caminho para esse conhecimento, dar a chave de aceso a si mesmo.

Outra objeção contra a meditação é que a maioria das técnicas de meditação manda que se "entre no vazio" de si, sem fazer perguntas espec√≠ficas, sem criar expectativas de respostas a respeito dos problemas que nos atormentam. Mas então como a meditação vai nos responder as nossas d√ļvidas, nos conduzir ao conhecimento das nossas próprias verdades?

A resposta é simples. Se meditarmos sem estabelecer uma condição prévia, se mantivermos a mente aberta, encontraremos o caminho das respostas que buscamos...

Aqui, mais uma vez, é preciso lembrar que isso não vai acontecer como que por "milagre". Se andamos h√° muito desorganizados na nossa relação conosco mesmo, precisaremos nos exercitar para que primeiro aconteça a reorganização. Enquanto estivermos tumultuados, sem noção de eira ou beira, não conseguiremos vislumbrar mais que uma névoa que nos tolhe a visão e a√≠ reca√≠mos na depend√™ncia de alguma intervenção divina que resolva nossos problemas.

Não existe possibilidade de "separarmos" as coisas. A espiritualidade é o motor e o corpo é o ve√≠culo. Se não cuidarmos de um, a tend√™ncia do outro é embrutecer e atrofiar-se, tornando-se incapaz de nos conduzir. Sim, porque a espiritualidade se manifesta através do f√≠sico no nosso plano, mas o f√≠sico depende de coordenação com a espiritualidade.

Se voc√™ estiver com ressentimentos, m√°goas, desejos de revanche, com as emoções exacerbadas por raivas ou descontentamos, frustrações, voc√™ consegue se alimentar? Voc√™ consegue se relacionar com os outros ou até para não perder o amigo ou o emprego, acaba coagindo suas emoções ainda mais para "preservar" o "status quo"? Então voc√™ na realidade estar√° na contramão porque com a mente fechada por tais emoções, voc√™ estar√° em uma névoa que o impeça de ver a causa do seu problema e buscar maneiras de solucion√°-lo.

A meditação lhe facilitar√° com algum exerc√≠cio e comprometimento (com voc√™ mesmo), a abrir sua mente. O vazio na realidade é a mente livre de condicionamentos externos ou nocivos. Ao invés de viver envolto na névoa de suas frustrações, voc√™ conseguir√° mudar os problemas por soluções. Quando voc√™ esvazia a mente da poluição, seja emocional, seja externa, voc√™ "abre a mente" e permite o ingresso de uma claridade e bom-senso livre desta poluição.

Em alguma altura, voc√™ encontrar√° para sua surpresa, poderes de discernimento, de livre arb√≠trio, e de escolha que farão com que voc√™ encontre as soluções que sempre desejou.

Para alguém que tenha por muito tempo caminhado carregando uma mala pesada de emoções negativas, ressentimentos e frustrações, ser√° poss√≠vel começar esvaziando essa mala. E na medida em que desocupa espaço polu√≠do, começa a preencher com aquilo que lhe é necess√°rio para modificar sua vida e direcion√°-la na direção que no √≠ntimo sempre desejou. E hoje até a ci√™ncia j√° descobriu que o DNA, que é nossa planta mestra de vida no ciclo humano, pode ser modificado pela meditação. Voc√™ pode substituir o que o atrapalha pelo que voc√™ tem de melhor para tornar-se feliz.

H√° um alerta necess√°rio. Cuidado com o que pede ou busca, e como o faz. Pode conseguir muito mais do que pretende. Para ter mais, seja l√° do que for, é preciso primeiro aprender a gostar a e usar bem o que efetivamente j√° tem. Voc√™ sabe o que voc√™ efetivamente j√° tem? Use a meditação para primeiro descobrir, aprender a valorizar, e então ampliar seu potencial para expandir seus objetivos, suas realizações, sua felicidade de ser e estar.

A vida é sempre mais dif√≠cil se voc√™ não sabe o que é, quem é e do que é capaz... A meditação é o seu caminho para descobrir isso.

Comunicar erro
Regulus 728x90
Doriana - Fraternidade 728x90
BioPendular - ERCAC - curso dezembro
BioPendular - PEPU